No dia 11 de Setembro de 2018, a organização ambiental BirdLife Internacional divulgou um estudo onde revelou que a arara-azul-grande, popularmente conhecida como Arara-azul, foi declarada extinta na natureza por motivos desumanos, entre eles o tráfico e comércio ilegal dessas aves.

Apesar do comunicado oficial há poucos meses atrás, uma nova obra da natureza rendeu uma luz de esperanças para essa espécie, nos dando uma segunda chance com o nascimento de uma Arara-azul. No final de Fevereiro, a noticia do nascimento de um exemplar dessa bela espécie foi anunciada por meio de uma gravação na Oficinal de Aves da ONG “Associação de Ornitófilos e Aliados”, na cidade de Luque, no Paraguais.

Luque está localizada a 15km de Assunção, capital paraguaia e, com essa notícia, tudo indica que a espécia poderia estar mais segura para se manter viva. É importante notar que, de “ultima hora”, uma agência de notícias no Paraguai mencionou que a nave nasceu em cativeiro.

Gustavo Espínola, o profissional responsável pela oficina de aves, fez questão de acrescentar que cada um desses nascimentos em cativeiro é um grande passo quando o objetivo é salvar qualquer espécie. No caso da rara Arara-azul, mesmo ainda filhotinho, já é possível ver suas pernas azuis e um ótimo estado de saúde.

Também foi comentado que os pássaros nascidos no Paraguai não devem permanecer em perigo de desaparecer por tanto tempo. É uma das razões pelas quais precauções são tomadas no cuidado desta espécie.

Assim como a Arara-azul, existem diversos outras espécies de aves que estão em perigo de extinção e, a única maneira de combater isso, é com a preservação da natureza e todo o arredor que ela nos proporciona.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here