Você já imaginou criar um “pequeno mundo” auto-suficiente, onde seus ciclos de evaporação da água e “chuva” são naturais e constantes, fazendo com que a vida dentro do recipiente deste “mundo” seja contínua, independente do tempo?

Em 1960, o inglês David Latimer teve a brilhante ideia de criar seu próprio jardim dentro de um garrafão de vidro e, desde essa época, o referido jardim se mantém verde e vivo, mesmo sem o inglês colocar uma gota de água no mesmo.

Acreditem, amigos, sem ironia, é verdade esse bilhete. O fato mais incrível é que Latimer molhou sua planta pela ultima vez em 1972, ou seja, há mais de 45 anos.

Vamos explicar melhor essa história: Tudo começou na páscoa de 1960, quando o inglês colocou terra na garrafa e plantou uma muda de Tradescantia. Segundo o mesmo, o objetivo era simplesmente encontrar alguma utilidade para a garrafa que estava jogada em sua casa.

A umidade que se formou na garrafa acabou servindo como “chuva”. As bactérias presentes no solo degradam as folhas que caem, liberando o gás carbônico e produzindo os nutrientes necessários para a sobrevivência de seu jardim.

Para que esse “ciclo” aconteça, a garrafa fica próxima a uma janela, recebendo o contato direto com a luz solar. Em 1972, Latimer abriu a garrafa epla primeira vez para colocar água no seu experimento. O processo existente na garrafa é o mesmo que ocorre em todo o planeta, porém sem a intervenção humana.

O mais bizarro é que mesmo após tanto tempo, seu “jardim” ainda continua saudável e auto-suficiente. É lindo de ver como a natureza é forte e bela, mesmo nos lugares mais estranhos e inimagináveis!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here