De acordo com o site G1, a tradicional festa de réveillon da Avenida Paulista, na região central de São Paulo, terá, pela primeira vez, uma queima de fogos silenciosa.

O projeto de lei foi sancionado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em maio deste ano. Os fogos sem estampido, com efeitos visuais serão permitidos, bem como aqueles que fazem barulho de baixa intensidade. A lei vale para recintos abertos e fechados, públicos ou particulares, em toda a capital paulista.

Também está proibida a fabricação de quaisquer artefatos pirotécnicos com efeito sonoro ruidoso. Em caso de descumprimento, a multa prevista é de R$ 2 mil.

“O que se espera é uma conscientização da população para os problemas provocados pelo barulho dos fogos. É algo que atinge idosos, bebês, além dos animais. As pessoas com autismo têm muitas dificuldades. Com barulho intenso precisam de acompanhamento”, afirmou ao G1 o vereador Reginaldo Tripoli (PV), um dos autores da lei.

Espetáculo não compensa seus danos

O principal dano dos fogos de artifício são os problemas causados aos animais, em decorrência ao barulho, que resultam em reações comportamentais como estresse e ansiedade. Já foram relatados diversos casos de animais que sofreram danos físicos e até morte.

O barulho dos fogos, associado ao medo, despertam a necessidade do animal em se afastar do barulho, tentando se esconder dentro ou embaixo de móveis. Esse medo também pode resultar em tentativas de fuga pela janela, cavar buracos, tornar-se agressivo, urinar ou defecar involuntariamente, etc. Durante tal tentativa de buscar proteção, o animal pode se acidentar em quedas, colusões, ataques epiléticos, desnorteamento, surdez, ataque cardíaco (principalmente em aves), e até mesmo o desaparecimento do animal, que pode percorrer uma longa distância em estado de pânico e não conseguir retornar ao seu local de origem.

Em seres humanos o dano não pode ser considerado menor. Além dos acidentes com a explosão dos fogos de artifício, o barulho é nocivo principalmente para pessoas com Autismo, que podem ficar extremamente incomodadas.

Qual é a sua opinião sobre o projeto de lei? Nós aprovamos a ideia!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here